28
Jan 09

 Bom são 06:30 aqui em La Paz é só essa hora a internet do Hostal estava vaga. Chegamos aqui ontem pela manhã depois de uma viagem de 12 horas vindo de Uyuni. Antes disso passamos por Sucre, cidade muito linda mas que perdemos o dia por causa do atraso no aeroporto, então conhecemos só a praça 25 de maio, dormimos e pela manhã pegamos 2 taxis para Potosí, em Potosí mais correria pois nao sabíamos onde era a rodoviária que saia o onibus para Uyuni, final das contas perdemos o onibus da manhã e compramos para a tarde, isto é 18:00 chegando em Uyuni as 01:00 da matina.

 

Em Uyuni dormimos num Hostal chulé, acordamos e fomos atrás da agencia para fazer o Salar de Uyuni. Bom falar sobre o Salar não dá, tem que ir lá para ver. É uma experiencia única. Pensem assim: o salar era mar há uns 20 mil anos que foi levantado pela Cordilheira dos Andes e formou um grande lago, assim como é o Titicaca, e esse lago secou ficando só o sal. O salar chega a ter 120 metros de profundidade, isso é uma camada de sal de 120 metros!! No meio do salar existem ilhas com cactos gigantes e ai que vem a maior loucura as ilhas são cobertas de fosseis de corais assim como as montanhas que estão em volta do salar. Detalhe o salar esta a 3800 metros. A primeira noite passamos num hotel todo feito de sal e a segunda noite junto da Laguna Colorada, com flamingos como companheiros, depois de conhecer a famosa árvore de pedra. Depois fomos quase ao Chile e vimos a Laguna Verde, sem noção, ela reflete 2  vulcões no meio de uma paisagem de Marte... Antes disso passamos pelos geisers ao amanhecer.

 

Chegamos as 17:00 em Uyuni e saímos no onibus das 20:00 para a viagem de 12 horas, chegamos aqui as 08:00 e fomos conhecer o centro de La Paz. De tarde pegamos um onibus turístico e fizemos toda a cidade passando pelo Vale da Lua, só vendo, ainda passamos por um mirante que se vê toda La Paz e voltamos para o Hostal.

 

Comemos e dormimos, hoje as 08:30 iremos para Chacaltaya que é uma montanha de 5400 metros onde tem a estação de esqui mais alta do mundo. Previsão do tempo hoje: muito frio e pouco ar!!!

Beijos a todos e muitas saudades.

Fui!!!

 

http://en.wikipedia.org/wiki/Chacaltaya

 

publicado por gabrielbosak às 19:53

23
Jan 09

 Chegamos em La Paz perto das 07:30, na rodoviária e descemos uma quadra até o hostal, aquele do primeiro mail. Deixamos as mochilas no hostal, tomamos café com panquecas, nos informamos sobre o city tour e fomos para o centro de La Paz.

 

Chegando na Igreja de São Francisco tiramos algumas fotos e resolvemos explorar as ruas do comércio boliviano. A principal do comércio rua é a Calle de las Brujas que também é um ponto turístico, com as Cholas e os artigos vendidos ali, de gorros aos fetos de lhama secos.

 

Demorei algumas horas para percorrer 2 quadras, mas vi de tudo. Combinamos de almoçar no Hotel Glória, que o guia dizia que tinha uma comida boa num restaurante vegetariano. Comemos lá e a comida era boa mesmo, com misturas bem interessantes e pegamos um táxi até a Plaza Isabel la Católica onde começaríamos o city tour.

 

Seguimos para a zona sul de La Paz, onde estão os mais ricos e o clima mais ameno. A cidade chega a ter uma diferença de 1000 metros entre a zona sul e a norte, isso quer dizer em temperatura quase 10 graus centígrados. O estranho disso tudo é que quanto mais pra baixo ou pro sul vamos o terreno fica cada vez mais arenoso e difícil de se construir. Por isso dizem que as fundações das casas aqui são muito mais caras que a própria casa. Bem lá em baixo fica o Vale de la Luna, que nada mais é o trabalho da água/chuva esculpindo colunas no terreno arenoso. Depois de entrar e visitar o parque do Vale, vamos para o centro de La Paz.

 

Passamos por vários pontos da cidade como o estádio de futebol, o velódromo, Avenida Poeta até chegar na Praça Murillo, onde ficam o Palácio do Governo, Palácio Legislativo e a Catedral Nossa Senhora de La Paz. Seguimos para cima agora, para Mirador Killi Killi, onde se tem uma vista panorâmica da cidade a mais de 4000 metros.

 

Terminado o Tour voltamos ao hostal para tomar um merecido banho e jantar. Pedimos pizza no hotel mesmo, porque estávamos muito cansados e para variar acordaríamos muito cedo, pois uma Van nos pegaria no hostal as 07:20. Essa Van nos levaria até a o Clube Andino Boliviano... Bebi minha cerveja de direito e fui para o berço.

 

 

 

 

 

 

 

publicado por gabrielbosak às 20:14

22
Jan 09

 Ainda é noite e acordamos muito cedo, 05:30. Sem tomar café saímos e seguimos os carros que foram na frente, após 40 minutos de estrada vemos aquela fumaça saindo do chão. Eram os Geiser que ao nascer do sol estão ativos. Saio do carro e sinto que está muito frio mesmo, devia estar por volta de -3 ou -4 e sem luvas minhas começam a doer de frio. O sol começa a aparecer e se misturar à fumaça criando um panorama muito belo e misterioso. Dou uma grande volta pelos geiser e já temos que sair.

 

Seguimos ao local que vamos tomar café, onde existe outra atração, um banho termal! Eu já estava preparado, tinha colocado sunga, então tirei a calça e entrei na água bem quentinha. Fiquei ali por 15 minutos aproveitando o banho e a vista, estávamos cercados de montanhas na borda de uma grande Laguna.

 

Tomo café, já seco e debaixo de um teto. Vamos para nossa última parada antes de começar a voltar para Uyuni. Mas antes passamos pelo Deserto de Dali, que tem esse nome devido a semelhança com as pinturas do pintor surrealista. Laguna Verde, a chegada é incrível, a laguna fica junto de um vulcão, sua água é verde e completamente lisa, sem vento, proporcionando o reflexo de toda a paisagem. Faço uma escultura de pedras, são só pedras empilhadas, mas que vemos durante toda a passagem pelo deserto. Ali é um bom lugar... Meia volta e estamos na direção de Uyuni, paramos mais uma vez só na Cidade de Pedra, que são muitas pedras todas como edifícios por quilómetros... 

 

Chegamos em Uyuni perto das 17:30, procuramos alguma coisa para comer e beber, pizza e cerveja. Tudo isso antes de mais umas 10 horas de ônibus até La Paz. Comemos muito bem, comemoramos um inicio de viagem "bem mais ou menos" e vamos para o ônibus de barriga cheia.

 

Acho que a última coisa que me lembro de ver antes de dormir profundamente no ônibus foi ver uma árvore de verdade, coisa boba mas depois de ficar no deserto foi impactante  ver uma simples árvore...

 

 

 

 

T-Rex - Chidren of The Revolution

 

publicado por gabrielbosak às 01:35
música: T-Rex - Chidren of The Revolution

19
Jan 09

 Acordo por volta das 06:00 e a claridade do sol já começa a dar sinais que ele vem vindo com força. Me arrumo, me convenço de sair da cama e vou pra frente do hotel para ver o nascer do dia.

 

Ficamos todos em silêncio vendo esse ritual e vendo a mudança das cores no salar. Tomamos café, jogamos as mochilas em cima da Land Cruiser e seguimos rumo ao deserto, já saindo do grande salar.

 

Nossa primeira parada que merece ser comentada é no museu a céu aberto logo depois de um Pueblo. São as múmias, que ficam dentro de Cocoons de coral muito legais e tudo mais. Os outros Guris já estavam desconfiados  com a autenticidade das tais múmias até encontrarmos uma com o crânio deformado, característico dos povos Andinos.

 

A partir daqui a paisagem muda bastante realmente deixamos o salar e entramos em cenários de outros planetas com montanhas e horizontes que vão do branco ao marrom, passando pelo ocre, amarelo e vermelho. Sem contar as infinitas forma e texturas...

 

Seguimos até para almoçar junto à Laguna Blanca, a primeira de 3 lagunas que iremos passar e nessa ponto já estamos a mais de 4300 metros de altura. Cortamos o deserto alucinados até encontrar uma árvore. A árvore de pedra! Uma escultura feita pelo capricho do vento a caminho de um lugar menos agreste.

 

Para completar fomos dormir no abrigo do governo, na entrada do Parque Nacional de Fauna Andina Eduardo Avaroa e junto da Laguna Colorada. A Laguna Colorada é um lago que a água é vermelha, toda cheia de Flamingos e ilhas de Bórax, um cristal branco rico em sódio e boro.

 

Nos instalamos em nosso quarto e vamos para um mirante à beira da Laguna. Mais um pôr do sol... Jantamos com os outros grupos que estão no abrigo também, tomamos vinho e conversamos bastante, mas é hora de dormir. Dormir cedo é uma ordem, até porque temos que ver o nascer do sol nos Geisers. Até as 05:30...

 

 

 

 

 

 

 

LinKin ParK feat. JaY-Z - NUmB EnCore

 

publicado por gabrielbosak às 19:47
música: LinKin ParK feat. JaY-Z - NUmB EnCore

18
Jan 09

 Na ilha do pescado com tanto sol e sal pedimos um cerveja, bebemos antes do almoço, que era salada de tomate, pepino e queijo, Quinua, um tipo de arroz muito proteico, e carne de Alpaca. Tava bem bom! Depois do rango, para fazer a digestão fomos dar a volta na Ilha quando paro e olho uma rocha, mas não é uma simples rocha...

 

Deixa eu explicar, toda essa região já foi um mar, certo? Então a grande maioria das rochas são recobertas de coral! Parece obvio, mas o grande problema é que estamos à uns 3400 metros de altura no meio de um Salar (que em alguns pontos tem 120 metros de camada se sal), rodeados de montanhas e vulcões, numa ilha com cactos de 10 metros de altura (que dizem crescer 1 centímetro por ano, faça as contas da idade do cactos) e que as pedras são cobertas de coral...

 

Para mim aí as coisas começam a realmente surreais...

 

É claro que tiramos muitas fotos e saímos da ilha em direção ao pernoite no nosso hotel de sal. Rodamos sempre acima dos 80 km/h e só vamos parar umas 2 horas depois, quando já estamos perto do hotel... Paramos porque estamos diante de um céu infinito, uma fina camada d'água cobre essa parte do Salar, formando um imenso espelho que reflete o céu. Tiro os meus ténis e molho os meus pés, fico admirando a paisagem e pensando comigo mesmo: Que viagenzinha mais ou menos...

 

Mal eu sábia que era só o começo...

 

Depois de um delírio coletivo e uns mega bytes à menos nas máquinas fomos para o hotel. Deixamos tudo e correndo fomos tentar ver o pôr do sol do alto de uma montanha, o sol e a montanha estavam atrás do hotel. Doce ilusão, a montanha era muito alta e a noite estava chegando. De volta ao hotel tomamos banho e fomos jantar. Um caldo quente de entrada, frango grelhado com batatas fritas e um vinho boliviano para acompanhar (não era muito bom).

 

Jantei e saí para ver o céu. Quanta estrela!!! Todo mundo cansado entrei e os que ainda não estavam dormindo foram dormir em suas camas de sal. Primeiro programa de amanhã: Nascer do sol no salar.

 

 

 

 

 

 

Nose-Remember Love

publicado por gabrielbosak às 15:13
sinto-me: Com fome
música: Nose-Remember Love

16
Jan 09

 Depois de dormir pouco, das 02:00 as 07:00 e arrumar as mochilas, saímos do hostal para procurar a agência que faria nossa jornada de 3 dias pelo Salar. Acertamos com a Cordillera que não tinha indicações ruins na internet e partiríamos no dia mesmo, às 11:30.

 

Tomamos café e compramos água para os 3 dias. O povoado de Uyuni não tem muito o que se fazer pois é só o ponto de saída ou chegada do Salar mesmo e o maior programa que fizemos lá foi ir numa feira. 11:30 Land Cruiser pronta, rumo ao cemitério de trens, parada de 15 minutos, com direito a muitas fotos. Andamos mais um pouco, vemos as primeiras Lhamas junto da estrada e de longe começamos a perceber o mar branco...

 

A expectativa aumenta a cada momento que nos aproximamos do que já foi um mar interno e que foi elevado pelos Andes. Paramos na borda do Salar onde tem uma feira e muitos turistas, olha a feira, tira foto com bêbe de lhama e corre para o Salar. Vemos a extração de sal, é só raspar o chão e fazer um montinho, várias pirâmides de um metro de altura...

 

Começamos a nos afastar do que não é branco até chegar no primeiro hotel de sal construído por ali, chamado Baía Blanca e todo feito de sal. Mais uma vez rumamos num tapete branco rumo a Isla do Pescado, que tem esse nome porque no horizonte se parece com um peixe. A partir desse ponto da minha historia nenhum relato ou foto capta a vastidão ou o panorama que é estar nestes locais, isso que faltam mais 20 dias para o final...

 

 

 

publicado por gabrielbosak às 16:36

 Acordamos, arrumei minhas coisas, fechei a mochila e fui tomar café no hostal.  Pão, suco e café. Descemos, os táxis chegaram e embarcamos rumo Potosí. A viagem dura 4 horas e a estrada é muito boita. claro tudo é novidade... A chegada a Potosí foi tumultuada e corrida pois não sabíamos que horas o ônibus para Uyuni saía. A rodoviária era uma rua cheio de ônibus com um monte de comerciantes e suas barraquinhas em volta.

 

Como era hora do almoço pedimos uma sugestão de almoço e fomos comer nossos primeiros pratos típicos da Bolívia. Era carne de porco com batatas cozidas e uma sopa picante com uma pedra quente dentro. Comemos e voltamos para a rodoviária, para comprar água e um lanche para a viagem de mais 7 horas até Uyuni. Saímos às 18:00 e chegamos perto de 01:00 em Uyuni, durante a viagem não vimos muita coisa...

 

Em Uyuni tratamos de encontrar um hostal e dormir, porque dali algumas horas queríamos  estar no salar de Uyuni.

 

Beijos e abraços.

 

publicado por gabrielbosak às 16:12

15
Jan 09

Chegamos no Aeroporto com bastante tempo pois me dei conta que o voo de São Paulo havia saído com uma hora antes do previsto, nosso voo era às 09:20, chegamos às 07:20. Mas isso nem adiantou nada porque o Aeroporto de Sucre estava fechado por causa do tempo e o que nos restava era esperar... Fomos tomar café, pois tínhamos perdido as panquecas pois o café no hostal só a partir das 07:30. Pedi um café continental, pão, suco, café com leite, marmelada e manteiga. Comemos bem tranquilos e fomos explorar o Aeroporto, 5 minutos depois não tínhamos mais nada para ver. O tempo foi passando e nos esperando, conversando e imaginando Sucre. Sucre passando pois só era um dia em Sucre. Meio dia, fomos almoçar acabamos de pedir o almoço e um aviso: Informações sobre o voo para Sucre no balcão da Aerosur em 10 minutos. Putz, será que vai dar para almoçar? 30 segundos depois um outro aviso dizendo que o voo estava atrasado e sem previsão de saída... Que bom... Almoçamos com calma e depois fomos para internet avisar os outros 2 (ao todo éramos em 7) que estávamos presos em La Paz.

 

Tédio, ficamos até as 16:00 no Aeroporto antes de passar para sala de embarque e esperar mais uns 50 minutos até entrar no avião para decolar. A sala de espera tinha uma vista legal, pelo menos, com montanhas nevadas ao redor. Em voo também vi uma vista completamente nova, cheia de montanhas e solo árido. Já já estamos chegando, procedimentos de descida, olho para baixo e está muito alto derrepente chão e pista. O pouso...  O aeroporto de Sucre está a uns 3000 metros de altura e fica na borda de uma montanha!

 

Desembarque, ataque de taxistas no saguão, mas estávamos indo para o telhado ver os outros 2 chegar. Ver um pouso de um avião numa pista daquelas é estranho, será que eles sentiram a adernada que o avião deu antes de pousar?

 

Encontramos eles e pegamos 2 taxis para o hostal. Chegando no hostal e vendo que um quarto tinha até hidro, deixamos as bagagens e fomos para a Plaza 25 de Mayo para conhecer pelo menos o centro de Sucre. Saímos já era noite, fomos caminhando, chegamos à praça, demos uma volta e FOME! Fomos comer para inaugurar comemos Pollo ou frango, que na nossa cabeça seria a coisa que mais comeríamos. Barriga cheia e fomos para o hostal pois amanhã os 2 taxis passam às 08:00 para ir para Potosí e são 4 horas de viagem. Hostal, banho e boa noite...

 

Beijos e abraços.

 

publicado por gabrielbosak às 15:03
música: QUU FM- Hamburg

 Bom essa é a primeira foto da viagem e foi tirada no refeitório-entrada do nosso hostal em La Paz. Chegamos em La Paz as 23:30 no aeroporto de El Alto, que fica só a 4000 metros e La Paz fica a 3600 metros. O translado Aeroporto-hostal foi um pouco sinistro pois entramos num taxi velho e começamos a descer, vendo aquela cidade lá embaixo...

 

Esse hostal fabrica uma cerveja, a Saya beer, que temos direito de uma caneca por diária que também tem café da manhã com panquecas, chá e café.

 

Quando chegamos não sabíamos disso tudo pois só dormimos, ou tentamos dormir pois a primeira noite em altitude é meio desconfortável. Acordamos umas 06:00 e nos arrumamos para voltar ao aeroporto pois tínhamos um voo as 09:20 para Sucre...

 

Beijos e abraços

 

 

 JASON MRAZ - THE DYNAMO OF VOLITION

publicado por gabrielbosak às 15:00
sinto-me: IHUUUUU!!
música: JASON MRAZ - THE DYNAMO OF VOLITION

Boa tarde!!

 

Estou em La Paz, no aeroporto de El Alto, tivemos um problema com o voo que iria para Sucre pois está chovendo por lá. Éramos para ter saído as 09:35 e só deve sair as 15:50.

 

Chegamos ontem ocorreu tudo bem é bem estranha a sensação da altitude, o aeroporto fica a 4000 metros. Passamos a noite no Hostal que fizemos a reserva e que vamos retornar. Do aeroporto se vê montanhas nevadas com 6000 metros, a cidade parece pobre e a maioria da população é índia.

 

No mais é isso. Beijos a todos!

 

Até mais.

 

G. LOVE - PEACE, LOVE AND HAPPINESS

publicado por gabrielbosak às 14:52
música: G. LOVE - PEACE, LOVE AND HAPPINESS

Março 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20

22
23
24
25
26
27
28

29
30
31


subscrever feeds
arquivos
mais sobre mim
pesquisar
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

blogs SAPO